EMRC mais radical

2008.Junho.3

O desafio que agora lançamos a todos os que fazem parte, mesmo que só por momentos, desta viagem é ver as fotos relativas aos dois dias radicais e deixar um comentário. O jornal escolar “Ponto Verde” está a ser preparado e espera por um artigo dos alunos do 8º ano que participaram nesta actividade.


Dia radical

2007.Junho.25

No dia 20 de Junho, os alunos dos 7º e 8º anos inscritos em EMRC participaram no dia radical.

O S. Pedro, danado para a radicalidade como é, deu um ar da sua graça e apareceu a meio da manhã, sem ser convidado, na praia fluvial de Adaúfe. Como estávamos avisados os estragos não foram por aí além: alguns aventureiros mais fervorosos pura e simplesmente molharam-se…

Durante essa manhã os alunos praticaram escalada, teia, slide e canoagem. O espírito de grupo foi grande, os obstáculos enormes e o incentivo aos menos corajosos inqualificável (até houve a promessa do Benfica ser campeão no próximo ano!).

Tarefa complicadíssima foi tirar os alunos da praia fluvial para os autocarros. Nem a barriga a dar horas ajudou… Foi preciso lembrar as actividades da tarde. E mesmo assim houve alguns que preferiam “o pássaro na mão do que dois a voar”.

Fizemo-nos ao caminho rumo à quinta de S. Cristóvão, em Valdreu, onde um churrasco nos esperava.

Depois do gelado, que era a sobremesa, chegou a altura da caminhada pelo rio, que ajudou a fazer a digestão.

Chegados ao ponto de partida, uns foram praticar tiro com arco, outros paintball e outros jogos populares. Cada grupo foi rodando por estas actividades e intercalando com um mergulho na piscina.

Se já tinha sido difícil tirá-los da praia fluvial, sair de Valdreu nem se fala. Quando chegámos à escola o relógio já marcava quase 19 horas e todos os autocarros tinham saído. Valeu o espírito de ajuda e o esforço de alguns pais que não se importaram de sair do seu rumo para deixar alguns alunos nas suas casas. O presidente do Conselho Executivo esperava-nos e, também ele, deu boleia a alguns alunos.

Quanto ao S. Pedro, depois da primeira repreensão, nunca mais apareceu…


Dia radical

2007.Maio.21

Aproxima-se o dia 23 de Maio, escolhido para a visita de estudo dos alunos dos 7º e 8º anos inscritos em EMRC. Se quiseres conhecer a empresa que nos ajuda na organização deste dia é só passar por aqui.

Eis o programa:

08h. 30 – Saída da Escola

09h. 00 – Praia Fluvial de Adaúfe (canoagem, slide, teia, escalada… )

11h. 45 – Viagem para Valdreu

12h. 30 – Almoço (churrasco)

14h. 00 – Caminhada ou outras actividades

15h. 00 – Paintball

16h. 30 – Piscina

18h. 00 – Regresso à Escola

18h. 30 – Chegada

Para que o dia seja mesmo radical é necessário que chova. Podes acompanhar o evoluir da situação climatérica, para os nossos lados de Vila Verde, em accuweather.


O Comboio da Vida

2006.Outubro.17

Algum tempo atrás, li um livro que comparava a vida com uma viagem de comboio.
Uma leitura extremamente interessante, quando é bem interpretada…
A vida não é mais do que uma viagem de comboio:
Repleto de embarques e desembarques, salpicado por acidentes, surpresas agradáveis em algumas estações e profundas tristezas noutras.
Ao nascer, subimos para o comboio e encontramo-nos com algumas pessoas que acreditamos que estarão sempre connosco nesta viagem: os nossos PAIS.
Lamentavelmente, a verdade é outra.
Eles sairão em alguma estação, deixando-nos órfãos do seu carinho, amizade e da sua companhia insubstituível.
Apesar disto, nada impede que entrem outras pessoas que serão muito especiais para nós.
Chegam os nossos irmãos, amigos e esses maravilhosos amores.
De entre as pessoas que apanham este comboio, também haverá quem o faça como um simples passeio.
Outros, só encontrarão tristeza nessa viagem…
E outros também, que circulando pelo comboio, estarão sempre prontos para ajudar quem precisa.
Muitos, quando descem do comboio, deixam uma permanente saudade…
Outros passam tão despercebidos que nem reparamos que desocuparam o lugar.
Às vezes, é curioso constatar que alguns passageiros, que nos são muito queridos, se instalam noutras carruagens, diferentes da nossa.
Assim, temos de fazer o trajecto separados deles.
Mas, nada nos impede que, durante a viagem, percorramos a nossa carruagem com alguma dificuldade e cheguemos até eles…
Mas, lamentavelmente, já não nos poderemos sentar ao seu lado, pois estará outra pessoa a ocupar o lugar.
Não importa. A viagem faz-se deste modo: cheio de desafios, sonhos, fantasias, esperas e despedidas… mas nunca de retornos.
Então, façamos esta viagem da melhor maneira possível…
Tratemos de nos relacionar bem com todos os passageiros, procurando em cada um, o melhor deles.
Recordemos sempre que em algum ponto do trajecto, eles poderão hesitar ou vacilar e, provavelmente, vamos precisar de os entender…
Como nós também vacilamos muitas vezes, sempre haverá alguém que nos compreenda.
No fim, o grande mistério é que nunca saberemos em que estação vamos sair, nem, muito menos, onde sairão os nossos companheiros, nem sequer, aquele que está sentado ao nosso lado.
Fico a pensar se, quando sair do comboio, sentirei nostalgia…
Acredito que sim.
Separar-me de alguns amigos com quem fiz a viagem, será doloroso.
Deixar que os meus filhos sigam sozinhos, será muito triste.
Mas agarro-me à esperança que, em algum momento, chegarei à estação principal e terei a grande emoção de vê-los chegar com uma bagagem que não tinham quando embarcaram.
O que me fará feliz, será pensar que colaborei para que a sua bagagem crescesse e se tornasse valiosa.
Meu amigo, façamos com que a nossa estadia neste comboio seja tranquila e que tenha valido a pena.
Esforcemo-nos para que, quando chegue o momento de desembarcar, o nosso lugar vazio deixe saudades e umas lindas recordações para todos os que continuam a viagem.
Para ti, que és parte do meu comboio, desejo-te uma…
… Viagem Feliz…